#b-navbar { display: none; }

terça-feira, julho 24, 2012

Sem perceber nada
A tarde esgotava-se em Rodas,
abril, como todas as promessas cumpridas, perdia interesse
e eu vi correr as tuas lágrimas até ao mar.
Sem perceber nada
nem a tua melancolia nem a migração das aves
nem o assobio dos barcos nem o rosto envelhecido dos capitães,
fechei os olhos.
Ao voltar a abri-los, não sei se eu era diferente
ou se o porto tinha mudado
mas os barcos ancorados embelezaram com a noite.
Tu que olhavas para as colinas
não viste as minhas lágrimas a acender as primeiras lâmpadas.




Lauren Mendinueta



Photobucket mais na revista maravilha

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home