#b-navbar { display: none; }

quarta-feira, dezembro 15, 2010

para os lugares que me faltam no interior do sono
tenho metáforas

ao falar do sabor que o vento deixa nos lábios
quando a voz tropeça nas sílabas

eu serei sempre a que abre as palavras na garganta




maria sousa




Photobucket

2 Comments:

Anonymous margarete said...

"eu serei sempre a que abre as palavras na garganta"

este poema é dos dos 'especiais' para mim, hoje brotou a lagrimita

16/12/10 09:35  
Blogger lebredoarrozal said...

****

17/12/10 00:31  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home