#b-navbar { display: none; }

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Sabes o que notei em mim? Que a minha pele já não é como antes, que mudou sem que tenha descoberto uma ruga a mais. São sempre as mesmas rugas, as que tive aos vinte anos, só que cavadas, acentuadas. É um sinal, e de quê? De uma maneira geral, sabe-se onde isto nos leva: ao final. Mas além disso? Com que rostos vamos desaparecer, tu e eu? Não é envelhecer que me assombra, mas a desconhecida que sucede a uma desconhecida.



Ingeborg Bachmann



Photobucket

3 Comments:

Blogger menina limão said...

Ingeborg Bachmann com Aino Kannisto, amén.

curiosamente, preferindo o vermelho, alegrei-me com o roxo.

:)

23/1/08 02:08  
Blogger Tinta no Bolso said...

desconhecer o conhecido, mudar o imutável. quando se chega ao fim, o que resta?
tudo de novo

23/1/08 11:11  
Blogger Graça Pires said...

Cada vinco do rosto é um caminho onde a angústia se deteve.
Um beijo

23/1/08 18:17  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home