#b-navbar { display: none; }

quinta-feira, janeiro 17, 2008

chegaste donde o medo tecia os meus cabelos
donde os pássaros ardiam a voz
donde só o silêncio se desconhecia

era tão larga a morte
que não se podia ver dos meus olhos

chegaste quando o fim sangrava dos meus braços
a casa soterrou-me dos teus passos
terra de mim todo
chegaste pelo coração de água da noite
quando o mistério escorre em grito pelos telhados
e Deus se desabita

chegaste tão de dentro de mim mesmo
que agora que a morte me nasce na garganta
a noite e o meu rosto são alguém
que eu próprio desconheço



Pedro Sena-Lino



Photobucket

5 Comments:

Blogger ana c. said...

nunca me esqueço que conheçi pedro sena-lino aqui.e como gosto sempre de o ler.

17/1/08 01:00  
Blogger menina limão said...

posso? então aqui vai:

http://youtube.com/watch?v=uGNk_zHy4Mg

um vídeo do planeta lebre.

:)

17/1/08 03:30  
Blogger angela said...

como se nas pontas dos cabelos se revelassem os dias. esta imagem enternece.

por isso gosto tanto,
tanto de vir aqui.*

17/1/08 11:48  
Blogger lebredoarrozal said...

m'ninas:)**


limonina, é claro que esse é um vídeo do planeta lebre :P (brigada)

a lhasa é uma das cantoras do planeta lebre:)

18/1/08 01:16  
Blogger Sofia said...

Uma imagem bastante familiar, é o que digo...

18/1/08 20:58  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home