#b-navbar { display: none; }

terça-feira, julho 31, 2007

traduçao caseira de um poema que adoro


Há mil portas atrás
quando eu era uma miúda solitária
numa casa grande com quatro
garagens e era verão
desde sempre,
da noite deitada na relva,
com os trevos a enrugarem-se por cima de mim
as estrelas sábias deitadas sobre mim,
a janela da minha mãe um funil
de calor amarelo a escorrer
a janela do meu pai, meia fechada,
um olho onde adormecidos passavam,
e as tábuas da casa
eram macias e brancas como a cera
e provavelmente um milhão de folhas
velejavam nos seus caules estranhos
enquanto os grilos faziam tiquetaque em uníssono
e eu, no meu corpo recém estreado,
que ainda não era o de uma mulher,
dizia às estrelas as minhas perguntas
e pensava que Deus poderia mesmo ver
o calor e a luz pintada,
cotovelos, joelhos, sonhos, boa noite



Anne Sexton



Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Susie said...

mais uma vez: gosto do teu blog.

31/7/07 05:01  
Blogger menina tóxica said...

é lindo o poema.

obrigada pela tradução :)

31/7/07 19:11  
Blogger menina limão said...

esta imagem vem de onde?
(guardei-a e veio sem nome. erro ou origem desconhecida?)

11/8/07 01:39  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home