#b-navbar { display: none; }

terça-feira, junho 05, 2007

Pouco resta daquele quarto de hotel, da neve colada às vidraças,
de ti e de mim nos gestos do amor, da sombra do teu corpo na cama,
do ruído de Nova York, daqueles dias que a memória inventa.
No entanto, este livro, um paperback, agora em ruínas,
teima em recordar-nos, símbolo de outra época.
É curioso pensar que esta capa suja,
este papel manchado, estes poemas,
foram mais poderosos que nós,
mais resistentes que a tua pele e a minha.
Contudo, nesta noite de verão, tantos anos depois,
as suas páginas não me levam a Spoon River e às suas gentes
– desolação, estupidez, fracasso
sonhos e mentiras, um rasto de ternura –
a nós, mas somente a nós conduzem, numa noite de fevereiro,
nus e ridentes com o livro nas mãos
sem saber que também ali – desolação, estupidez, fracasso –
estava escrito o nosso inexorável destino.



Juan Luis Panero



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

2 Comments:

Blogger miguel. said...

grande grande poema
grande grande Panero...

5/6/07 13:50  
Anonymous Anónimo said...

Houve um surto de es
Trelas Cadentes
Pássaros Degol
Ados Os pés sangrando
nas Plantas, farpas
de páginas per-Fu.
Radas zumbirem idas

(as unhas combinam? per-
guntavas prerrogando)

fénix oppure tM

5/6/07 15:11  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home