#b-navbar { display: none; }

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Nós vivemos na cidade quase sempre perdidos
nas nossas pequenas razões. Estas ruas
ainda prometem mais do que podem cumprir?
A breve epifania do amor ou simplesmente
um cúmplice que nos diga, à mesa de um café,
que não faz mal, que pouco importam
as perdas e danos que sofremos.

De qualquer modo o mundo continua.

Entre o medo e a esperança
procuramos a nossa incerta morada
e enquanto isso envelhecemos mais um dia,
colhidos pelo tempo em plena queda. Nas praças,
nos quintais, a noite aparece depois do jantar
cheia de boas promessas, mas já vem condenada
ao tropel dos crentes, ao cego movimento da manhã.



Rui Pires Cabral



Photobucket - Video and Image Hosting

2 Comments:

Blogger salomé said...

este poema faz tanto sentido *

18/1/07 23:10  
Blogger lebredoarrozal said...

pois faz.

18/1/07 23:30  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home