#b-navbar { display: none; }

sexta-feira, dezembro 29, 2006

Dizem os ventos que as marés não dormem esta noite.
Estou assustada à espera que regresses. As ondas já
engoliram a praia mais pequena e entornaram algas
nos vasos da varanda. E, na cidade, conta-se que
as praças açoitaram à tarde dezenas de gaivotas
que perseguiram os pombos e os morderam.

A lareira crepita lentamente. O pão ainda está morno
à tua mesa. Mas a água já ferveu três vezes
para o caldo. E em casa a luz fraqueja, não tarda
que se apague. E tu não tardes, que eu fiz um bolo
de ervas com canela; e há compota de ameixas
e suspiros e um cobertor de lã na cama e eu

Estou assustada. A lua está apenas por metade,
a terra treme. E eu tremo, com medo, que não voltes.


Maria do Rosário Pedreira


Image hosted by Photobucket.com

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Não te assustes. ele volta!!
seja de que forma for ...
convido-te hoje enste dia a um rápido olhar no meu blog
1 sorriso luminoso e bom ano 2007
lana

29/12/06 18:02  
Blogger Kino said...

O poema é lindo, a artista também, mas só volto de madrugada para o pão para o bolo e para "ti"

Beijinhos e Bom Ano

31/12/06 16:23  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home