#b-navbar { display: none; }

sexta-feira, outubro 01, 2004


em dias que de dias são cenários
vi num olhar onde chovem todas as cores
palavras esquecidas no vagar da insónia

abertas a um frio que já não existe
dos olhos soltam-se como borboletas rente ao sonho

em arrepios de luz tenho as mãos
a percorrer a vertigem da cegueira
e num clarão que se abre na memória
chego a um lugar que não é meu


eue


0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home